Quer saber falar sobre vinhos? A gente te ajuda com 10 palavras básicas.

Dica para falar sobre vinhos

Vinho tânico, estruturado, mineral? Separamos palavras para você entender o que significam quando se referem aos vinhos.

O mundo dos vinhos tem um vocabulário próprio, cheio de termos que nem sempre são de fácil compreensão. Por isso, fizemos uma listinha de 10 palavras comuns quando a ideia é descrever o estilo do rótulo. Todas elas completam a frase: Esse vinho é…

 

Divirta-se e tim-tim!

 

Seco

Pode ser a descrição básico do estilo de um vinho, mas nem todo mundo sabe que um vinho seco nada mais é do que sem açúcar perceptível pelo palato. Pela legislação vigente no Brasil, um vinho seco pode ter até 5 gramas de açúcar por litro, mas é bem comum ter bem menos que isso. Lembre-se que o açúcar de um vinho de qualidade é o da fruta que resta pós fermentação. Quer um exemplo? Experimente o português Quinta do Penedo DOC Dão.

 

Suave ou doce

Esses são exemplares nos quais restou açúcar da fruta depois do processo de fermentação, que é a transformação de açúcar em álcool. Isso acontece porque chega um momento em que as leveduras “morrem”, ou seja, param de consumir o açúcar, ou ainda quando interrompe-se a fermentação propositalmente, como no caso dos fortificados como os portugueses vinho do Porto ou vinho Madeira. Há ainda outros métodos, mas fica para uma outra hora. Um exemplo de suave é o Santola Vinho Verde. Já para experimentar um fortificado doce escolha o Porto Messias Tawny.

 

Tânico

O tanino é responsável por várias qualidades relacionadas ao vinho, desde os polifenóis que fazem bem à saúde até o elemento que garante longevidade às bebidas. Ele é encontrado naturalmente em plantas, incluindo as uvas, e como são capazes de precipitar proteínas são os responsáveis pela sensação de adstringência na boca. Eles podem estar equilibrados, macios e bem trabalhados, como no Don Román tinto ou serem duros e desagradáveis, comprometendo a qualidade do vinho.

 

Estruturado

A definição do dicionário é o que funciona para esse jargão utilizado no mundo dos vinhos. Estruturado quer dizer equilibrado, ou seja, elementos como taninos, acidez e fruta estão em plena concordância, o que dá estrutura para um vinho combinar com uma carne vermelha mal passada, por exemplo. Para experimentar um vinho estruturado escolha o Messias Clássico Garrafeira

 

Equilibrado

É justamente o que dissemos acima: em um vinho equilibrado nenhum elemento se sobrepõe ao outro, ou seja, fruta, tanino, acidez e tempo de barrica estão em plena harmonia. Em boca, você sente tudo isso junto e a experiência fica ainda mais prazerosa. Para testar, o Reguengos Reserva DOC Alentejo.

 

Mineral

Essa é uma palavra que intriga: o que esperar de um vinho cuja degustação inclui a palavra mineralidade? Geralmente, esse vinho terá menos aromas de flores e frutas e a mineralidade é traduzida em algo como giz de quadro negro. Geralmente são vinhos de solos minerais como o da Borgonha, na França, que foram oceano há milênios e até hoje conservam fósseis da época. Quer sentir uma das sensações mais incríveis dos vinhos? Olha a dica: Chablis Abel Pinchard.

 

Persistente

Depois de dar um gole em um vinho conte quantos segundos que o sabor fica na sua boca. Passou de 5 segundos já temos uma boa persistência. Passou de 10 segundos, trata-se de uma persistência ótima. Quer provar um vinho que fica muito mais que 10 segundos em boca? Vai de Justino’s Madeira 3 anos Seco, um exemplo incrível de fortificado equilibrado, saboroso e muito persistente.

 

Ácido

A acidez, ao lado da presença dos taninos, é um dos elementos que dá longevidade ao vinho, além de ser o que confere frescor à bebida. Geralmente quando o vinho tem pouca acidez diz-se que está mole, sem graça. Já quando a acidez é boa ou pronunciada o vinho é vivo e refrescante. Quanto mais a boca salivar, mais alto é o grau de acidez. Vale lembrar que tanto brancos, quanto rosés e tintos têm acidez. Experimente o Château Reynon Sauvignon Blanc.

 

Sedoso ou macio

As palavras são autoexplicativas. Nos vinhos sedosos ou macios, nada incomoda, todos os elementos se completam e a experiência é traduzida por essas deliciosas sensações em boca. Geralmente são exemplares que não precisam de harmonização para serem degustados, bastam-se sozinhos. Nesse caso, aposte no espanhol Nuestro 8 meses DO Ribera del Duero.

 

Versátil

Diz-se daquele vinho que pode ser degustado sozinho, acompanhando petiscos ou até uma refeição inteira. Ou seja, é aquela bebida que tem a capacidade de se adaptar a cada circunstância. Um exemplo de vinho versátil é o espumante 3B Rosé da Filipa Pato.

 

 

 

Tags: , , , , , , , ,