Sete motivos para conhecer vinho francês

Vinhos francês

Muitos são os motivos que fazem dos vinhos franceses referência em todo o mundo. O fato de o país ter condições climáticas maravilhosas e diferentes para a plantação de uvas viníferas é um deles. Junte-se a isso séculos de experiência e valorização cultural dessa bebida. Por causa destes, e de outros motivos, a França está no ápice da vitivinicultura.

Apesar de, às vezes, os rótulos serem difíceis de interpretar, você não precisa ficar receoso em relação aos vinhos da França. Selecionamos sete motivos que explicam um pouco da soberania francesa e também sete rótulos típicos para você conhecer. Confira!

 

  • A localização do país europeu é extremamente privilegiada: o clima é influenciado pelo Oceano Atlântico e pelo Mediterrâneo, e o Leste pelo clima Continental.

 

  • O solo é muito variado e têm alta concentração de calcário, que é excelente para as uvas.

 

  • Quase todas as uvas renomadas do mundo nasceram lá: Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot, Pinot Noir, etc.

 

  • Além de ter bons vinhedos, os franceses definem, classificam e controlam rigidamente a produção de cada uma das suas regiões.

 

  • São os franceses os autores do significado da palavra terroir, usada para designar uma série de fatores naturais e humanos que governam a cultura da vinha e a fabricação do vinho, como solo, clima, aspectos do terreno (como altitude e inclinação) e práticas de cultivo (a mão do homem) que torna cada vinhedo único.

 

  • O país está em segundo lugar na produção de vinhos mundial, com 36,7 milhões de hectolitros, segundo o Instituto do Vinho e da Vinha (OIV). Os franceses consomem 51,2 litros de vinhos per capita ao ano.

 

  • De lá vem os incríveis e incomparáveis champanhes; os tintos robustos e gastronômicos de Bordeaux; a delicadeza e mineralidade dos brancos da Borgonha; os sensacionais rosés da Provence; e os quentes e suculentos vinhos do Sul da França.

 

Selecionamos sete dicas para você entrar no mundo dos vinhos franceses. Confira!

 

Deutz Brut Classic

Champanhe é de uma elegância ímpar. As condições da região homônima originam uma bebida vivaz, com acidez pronunciada, bolhas persistentes e sabor sem igual. Deutz é uma casa muito tradicional e esse exemplar Brut (ou seja, seco) traz aromas de notas florais, brioches, amêndoas e frutos maduros. No paladar é seco, frutado e muito persistente.

Chablis Abel Pinchard 

Dizem que a harmonização perfeita com Chablis são ostras. Sabe por quê? Porque há milênios aquela região foi um mar e até hoje encontram-se fósseis marinhos, o que confere mineralidade sem igual a esses vinhos brancos. Este rótulo é intensamente frutado com elegantes toques minerais. No paladar é seco, de corpo médio, possui ótima acidez e é macio.

Manôn Cotes de Provence Rosé

A bela e ensolarada Provence, no sul da França, produz alguns dos mais saborosos vinhos rosés que temos notícia. O Manôn, além de uma belíssima garrafa, é delicado e, entre seus aromas, flores brancas e pêssego. Em boca é seco, com estrutura suave, sedosa e longo final. Deve ser consumido fresco, mas não exageradamente gelado (a temperatura ideal é entre 10 e 12ºC).

Château Labat

Quer experimentar um vinho clássico de Bordeaux, com todas as características que o terroir tem para oferecer? Achou! Esse exemplar é produzido na margem esquerda da região, onde reina a uva Cabernet Sauvignon. Em boca é seco, com boa acidez, possui taninos bem estruturados e final longo e intenso, resultado dos 12 meses em que amadurece em barricas de carvalho francesas.

Château Caronne Ste. Gemme 

O Caronne também revela toda a força e a elegância dos vinhos de Bordeaux. Combinação de três uvas nativas da região, Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot, apresenta aromas muito complexos que lembram frutas vermelhas e negras, com notas de carvalho e tabaco e um toque de mel. No paladar é seco, com taninos presentes, porém macios, acidez equilibrada e final persistente. Amadureceu 12 meses em barrica de carvalho francês.

Bourgogne Pinot Noir Chauvot Labaume

Pinot Noir é a uva que elabora alguns dos melhores vinhos do mundo. Temperamental, exige muita atenção no cultivo, porém resulta em exemplares espetaculares. As melhores parcelas da Borgonha foram mapeadas por monges durante, aproximadamente, 800 anos. O resultado é uma colcha de retalhos, muitas propriedades pequenas e vinhos cobiçadíssimos no mundo inteiro.

Cave de Cairanne Le Chêne Noir Côtes du Rhône 

Um típico vinho do Vale do Rhône, no sul da França, complexo em aromas e sabores. Na composição leva as uvas típicas da região, como Grenache, Syrah e Carignan, uma combinação que confere equilíbrio e sabor. Cairanne é o nome de um vinhedo localizado em uma cidade homônima.

 

 

 

Tags: , , ,